Diretora Jurídica da ANESP critica ação de manifestantes que invadiram plenário da Câmara dos Deputados

 Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Cerca de 50 manifestantes invadiram, na tarde da última quarta-feira (16), o plenário da Câmara dos Deputados e interromperam uma sessão não deliberativa da Casa. Com palavras de ordem, o grupo defendeu medidas contra a corrupção e pediu intervenção militar no País.

A Diretora de Assuntos Jurídicos da ANESP, Patrícia Parra, criticou a atitude antidemocrática dos manifestantes e pediu punição aos envolvidos. “Está na Lei que define os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e a social. É crime tentar impedir, com emprego de violência ou grave ameaça, o livre exercício de qualquer dos Poderes da União.”

A dirigente também atacou a pregação pela intervenção militar - “É contra a democracia e contra a Constituição. É a defesa da ditadura. Sou veementemente contra.“

Na invasão, os manifestantes quebraram uma porta de vidro e ocuparam a mesa da Presidência da Casa. Um dos participantes chegou a cuspir em um segurança, o que incendiou ainda mais a confusão. O processo de negociação e retirada de todos os integrantes demorou quase três horas. Em seguida, eles foram levados à Superintendência da Polícia Federal para prestar depoimentos. No fim da noite foram liberados, mas devem ser indiciados com base na Lei citada por Patrícia Parra, conforme relatado pela assessoria de imprensa da Câmara dos Deputados.