Campanha Salarial - Entidades do Ciclo de Gestão e do Núcleo Financeiro voltam à mesa de negociação na SEGRT

 À Direita, o Presidente da ANESP, Alex Canuto; ao centro, de terno cinza, Augusto Chiba, titular da SEGRT. Foto: Unacon

À Direita, o Presidente da ANESP, Alex Canuto; ao centro, de terno cinza, Augusto Chiba, titular da SEGRT. Foto: Unacon

A ANESP e as demais entidades representativas das carreiras que compõem o Ciclo de Gestão e o Núcleo Financeiro voltaram, na manhã desta segunda-feira (15), à mesa de negociação da Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho (SEGRT) do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP). A reunião foi motivada pela quebra da promessapor parte do Governo de tratar de forma isonômica as carreiras na concessão do reajuste salarial acordado durante a Campanha Salarial 2015.

O Presidente da ANESP, Alex Canuto, criticou a quebra do acordo e cobrou medidas urgentes. “Não há razão para que haja reajuste diferenciado para qualquer outra carreira. Vamos cobrar o cumprimento do acordo e o tratamento isonômico. Os R$ 3 mil a mais que foram dados no subsídio dos Delegados e Peritos da Polícia Federal têm de ser estendidos às demais carreiras de Estado”, explica Canuto.

Durante a reunião, o secretário de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho, Augusto Chiba, reconheceu como "certíssimos" a iniciativa e o pleito dos sindicalistas e se comprometeu a dialogar sobre o tema com o Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira. Para ele, a disparidade entre os reajustes concedidos deixa a todos em posição "realmente delicada”.

Um novo encontro entre as entidades e a SEGRT foi agendado para o próximo dia 26 de setembro.