Nova gestão da Funpresp toma posse oficial em solenidade no Ministério da Previdência

 Foto: SindiLEGIS

Foto: SindiLEGIS

Ao discursar, o presidente do Fonacate lembrou da luta das entidades para que a Funpresp não fosse criada. E sugeriu, que num futuro próximo, a eleição para diretor-presidente da Funpresp ocorra entre candidatos que sejam participantes do fundo.

Clipping: Fonacate

Na noite da última quarta-feira (15), dirigentes e representantes sindicais de órgãos dos Poderes Legislativo, TCU e Executivo, além de associações e fundações de Previdência Complementar, prestigiaram a solenidade dos membros eleitos para os Conselhos Deliberativo e Fiscal da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público do Poder Executivo (Funpresp-Exe) e Comitês de Assessoramento Técnico dos Planos de Benefício ExecPrev e LegisPrev. O evento aconteceu no Ministério da Previdência Social (MPAS).

Na ocasião, compuseram a mesa de honra o conselheiro fiscal da Fundação e secretário-geral do Sindilegis, Márcio Costa, o ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, o secretário-executivo da Previdência Social, Marcelo Siqueira Freitas, o diretor-presidente da Funpresp-Exe, Ricardo Pena e o presidente do Conselho Deliberativo da Funpresp-Exe, Dyogo Henrique de Oliveira.

O ministro Carlos Eduardo Gabas realizou a abertura da solenidade e demonstrou muita confiança nos trabalhos que serão desenvolvidos pelos membros eleitos. “Para nós, da Previdência Social, a Funpresp é motivo de muita alegria não só porque cumpre um papel fundamental na estrutura de proteção social no País, mas porque foi um projeto discutido, pensado e negociado com a participação do Ministério da Previdência. Tivemos que fazer um esforço muito grande para convencer e ainda estamos trabalhando nisso, não é simples, para convencer os servidores públicos de que é uma alternativa viável e necessária não só para equilibrarmos as contas da União, mas principalmente para aumentar a proteção dos trabalhadores”, elogiou.

Eleito para o mandato de quatro anos, Márcio Costa garantiu uma atuação transparente e profícua na gestão do fundo de previdência. “Quando olho para esses representantes do governo em plantão, olho para agentes públicos que irão fazer uma política pública de previdência saudável, eficaz, eficiente e exitosa. Em nome de todos, agradeço a confiança que foi em nós depositada e reafirmo: a Funpresp é uma realidade. E isso significa que daqui a 25, 30 anos, quando os primeiros servidores estiverem se aposentando, queremos que o que foi contratado agora seja entregue no futuro. Eu quero poder falar da nossa experiência e temos que trabalhar para isso: entregar o que foi prometido”, reforçou.

Ricardo Pena, diretor-presidente da Funpresp-Exe, saudou a todos os presentes e relembrou a trajetória da Funpresp nos últimos anos. “Gostaria de agradecer a oportunidade e parabeniza todos os eleitos neste momento. Acho que o que nós fizemos nesses dois anos foi construir as bases desse fundo, ou seja, a Funpresp será um arranha-céu, por isso os pilares devem ser sólidos e foi isso que fizemos desde o início. A nossa Fundação começamos em uma salinha pequena, mas pretendemos ser grandes, com simplicidade, baixo custo e trabalhando em prol do servidor”, revelou.

Dyogo Henrique de Oliveira, presidente do Conselho Deliberativo da Funpresp também falou sobre a importância desse momento para a Fundação. “Nos últimos dois anos, os ex-conselheiros e a diretoria se dedicaram bastante, fazendo com que o processo avançasse. A Funpresp é um fundo pequeno, mas sem dúvida será o maior fundo de previdência do País”, comentou.

Ao discursar, o presidente do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), Roberto Kupski, lembrou da luta das entidades para que a Funpresp não fosse criada. "Sempre trabalhamos na defesa de um sistema previdenciário público que preserve o poder aquisitivo dos servidores e a manutenção de um padrão digno de vida na aposentadoria. Apesar da nossa luta contra o projeto de lei que instituiu o fundo de previdência complementar dos servidores públicos, sabemos que hoje essa é a realidade. Mas, esperamos que daqui a 25 ou 30 anos não possamos ver manchetes como as que temos acompanhado recentemente nos jornais, destacando a 'quebra' de fundos de pensão de estatais importantes do governo.”

Kupski disse ainda que o Fonacate dará todo apoio ao membros eleitos. E sugeriu, que num futuro próximo, a eleição para diretor-presidente da Funpresp ocorra entre candidatos que sejam participantes do fundo. "Quero reiterar que o Fórum das Carreiras de Estado participou ativamente para a eleição dos membros que hoje tomam posse, por isso, tenho certeza que vão administrar esse fundo com muita transparência. Desejo pleno êxito e, mais uma vez, contem conosco", concluiu o presidente.

O evento registrou a presença de cerca de 150 pessoas, dentre autoridades governamentais, secretários e representantes do Fonacate, da SindiReceita e do Proifes. Colaboradores e a diretoria da Funpresp também compareceram. A nomeação dos membros ocorreu por decreto presidencial em 12 de março e a posse institucional ocorreu em 16 de março.

Conheça os novos conselheiros

Conselho Deliberativo, representante dos Patrocinadores:
- Dyogo Henrique de Oliveira, titular e presidente, com mandato de quatro anos, e Esteves Pedro Colnago Junior, suplente;
- Manuel Augusto Alves Silva, titular e presidente substituto, com mandato de dois anos, e Marcelo de Siqueira Freitas, suplente; e
- Diogo de Sant’ana, titular, com mandato de dois anos, e Rodrigo Martins Brum, suplente;

Conselho Deliberativo, representantes dos participantes e assistidos:
- Thiago Feran Freitas Araújo, titular, com mandato de quatro anos, e Joaquim Ignacio Alves de Vasconcellos e Lima, suplente;
- André Nunes, titular, com mandato de quatro anos, e Jairo Alfredo Genz Bolter, suplente;
- Daniel Pulino, titular, com mandato de dois anos, e Geraldo Pereira da Silva Filho, suplente;

Conselho Fiscal, representantes dos patrocinadores:
- Gustavo Alves Tillmann, titular, com mandato de quatro anos, e Esther Dweck, suplente;
- Carlos Roberto Caixeta, titular, com mandato de dois anos, e George Alberto de Aguiar Soares, suplente;

Conselho Fiscal, representantes dos participantes e assistidos:
- Marcelo Levy Perrucci, titular e presidente, com mandato de dois anos, e Leonardo Formiga Larrossa, suplente;
- José Márcio Ribeiro da Costa, titular e presidente substituto, com mandato de quatro anos, e Eduardo Toledo da Silva, suplente.