Governo segue sem dar perspectiva às carreiras de Estado nas negociações salariais

Reunião entre secretário-executivo adjunto do MPOG, Valter Correia, e membros da União das Entidades Representativas de Carreiras de Estado foi agendada pelo Ministério após a grande mobilização realizada pelas associações e sindicatos no último dia 28. Representantes das categorias salientam que seguirão com mobilização conjunta

 Foto Ascom/Sindifisco

Foto Ascom/Sindifisco

Representantes das 22 associações e sindicatos que formam a União das Entidades Representativas das Carreiras de Estado se reuniram na tarde da última sexta-feira (29) com o secretário-executivo adjunto do Ministério do Planejamento, Valter Correia, e com o secretário e a secretária adjunta de Relações de Trabalho no Serviço Público, Sergio Mendonça e Marcela Tapajós. Apesar do agendamento do encontro pelo MPOG após a mobilização das carreiras típicas, na última quinta-feira (28), a postura apresentada pelo governo se manteve: nenhuma definição sobre possíveis reajustes.

Durante a reunião, os representantes das entidades salientaram que a demora no processo de negociação e na apresentação de uma contraproposta às demandas das carreiras gera insatisfação. Os dirigentes reafirmaram a disponibilidade em negociar e pediram celeridade nas definições, pois o prazo para envio do projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) expira no fim de agosto.

A data com a qual o governo trabalha atualmente para dar uma resposta – 30 de julho - não agrada os presidentes das entidades que compõem a União. Por isso, eles salientam que as categorias continuarão com mobilizações conjuntas.

O grupo formado pelas carreiras típicas de Estado representa hoje um contingente aproximado de 100 mil servidores. Para conhecer mais detalhes sobre ele, clique aqui.

Na reunião da última sexta-feira (29), a ANESP foi representada pelo presidente, Trajano Quinhões.

Fonte
Assessoria de Comunicação ANESP, com informações da Ascom/Sindifisco