Ciclo de Gestão e Núcleo Financeiro apresentam reivindicações à Secretaria-Geral da Presidência da República

Carta pontua 13 tópicos defendidos pelas carreiras, como ocupação dos DAS por servidores efetivos, política permanente de reposição e qualificação de quadros técnicos e política salarial para o setor público

 Foto: Ascom/Sinal

Foto: Ascom/Sinal

Os representantes das entidades que representam as carreiras do Ciclo de Gestão e do Núcleo Financeiro se reuniram na manhã da última terça-feira (07) com o assessor especial do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República , José Lopes Feijóo. O encontro serviu para apresentar ao dirigente uma carta elaborada pelas carreiras com 13 pontos defendidos como essenciais à agenda de gestão da força de trabalho da administração pública federal.

Na ocasião, os representantes do CG e do NF ressaltaram a necessidade de se reabrir a discussão sobre o tema da Carta. A ideia é fazer com que o Estado tenha uma máquina administrativa forte, eficiente e que gere mais resultados à sociedade.

O documento foi encaminhado à presidente da República, Dilma Rousseff, em 04 de fevereiro deste ano. Feijóo garantiu que também o levará à Casa Civil e aos Ministérios da Fazenda e do Planejamento.

Na carta as carreiras enfatizam a importância do Ciclo de Gestão e do Núcleo Financeiro para a manutenção de uma agenda estratégica de longo prazo. Alguns dos pontos defendidos são a garantia de 100% dos DAS 1 a 5 e de 50% dos DAS 6 ocupados por servidores de carreira; o veto à indicação de pessoas que tenham vínculo com empresas que atuam nos setores regulados para os quadros de direção das agências reguladoras; a implementação de uma política permanente de reposição e qualificação dos quadros técnicos do Estado, sem terceirização ou concursos temporários; a reorganização dos cargos públicos, com planos estruturados de carreira; a regulamentação da Convenção nº 151 da OIT (direito à representação sindical no serviço público); a implementação de uma política salarial permanente para o setor público; e a implantação de um sistema de informações de custos na Administração Pública.

A ANESP foi representada pelos diretores Afonso Pacifico e Ricardo Vidal.

O download da carta pode ser feito aqui.

Fonte
Assessoria de comunicação ANESP