Grandes expectativas cercam gestão de Nelson Barbosa

Anesp ouviu membros da Carreira de EPPGG que trabalharam com o novo Ministro

 Novo Ministro do Planejamento tem experiência de trabalho com EPPGGs. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Novo Ministro do Planejamento tem experiência de trabalho com EPPGGs. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O início dos trabalhos de Nelson Barbosa, Ministro de Planejamento, Orçamento e Gestão, empossado em 02 de janeiro, está cercado de grande expectativa. O economista nomeado no fim de novembro pela Presidente Dilma Roussef vinha, desde então, trabalhando em paralelo à última administração, de Miriam Belchior, mas é a partir deste mês que suas ações serão concretizadas e passarão a ter visibilidade. Com olhar atento, e com certa ansiedade, esses primeiros passos são acompanhados de perto pelos brasileiros, em especial por membros da Carreira de Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG) que conversaram com a reportagem da ANESP.

A inquietação é acompanhada da expectativa de reatar antigo e frutífero contato profissional. Nelson Barbosa trabalhou com EPPGGs quando esteve à frente das Secretarias de Acompanhamento Econômico (2007- 08) e de Política Econômica (2008-10), ambas do Ministério da Fazenda, onde também exerceu a função de secretário-executivo (2011 a 2013).

A ANESP ouviu EPPGGs e ex-EPPGGs que trabalharam e conhecem de perto o novo Ministro. O otimismo ficou evidente. Como no depoimento de Yves Basto Zamboni Filho, que trabalhou por alguns meses com Nelson em 2003, quando ele era chefe-adjunto da Assessoria Econômica do MP. "Ele sucedeu Joaquim Levy, com quem trabalhei ao longo do 2º semestre de 2002, quando ingressei na carreira”, relembrou para em seguida comentar como foi atuar diretamente com Nelson Barbosa. “A experiência foi das melhores possíveis, pois ele apresentava todas as qualidades técnicas para ocupar o cargo e também é uma pessoa de excelente caráter, comprometido com o Brasil, além de ser fácil de se lidar. Sabe delegar tarefas e sempre deu abertura para discutir as questões relativas ao trabalho. Como poucas pessoas que conheci, ele, de fato, ouvia a equipe na hora de encaminhar as questões. Acredito que seja o homem certo, no lugar certo e na hora apropriada”, conclui.

Semelhantemente, Marcelo de Matos Ramos invoca vivência anterior para justificar a esperança de sucesso para a Pasta sob novo comando. “Conheci Nelson Barbosa em abril de 2007, quando foi nomeado Secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda, onde trabalho. Rapidamente revelou-se um excelente quadro, com grande capacidade de trabalho, espírito público e interesse na agenda da Secretaria.  Mesmo tendo exercido o cargo por pouco mais de um ano, graças à sua convicção em termos de fortalecimento das instituições, ele foi elemento importantíssimo na transição de competências da SEAE dentro do arcabouço geral do Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência.  Acredito que no Ministério do Planejamento ele mostrará essas mesmas virtudes, colaborando decisivamente para o fortalecimento das áreas de competência daquele Ministério, incluindo aí a Gestão Pública, uma dimensão essencial tanto para a prestação de serviços ao cidadão com mais efetividade quanto para a melhoria do ambiente de negócios, com consequente aumento de competitividade da economia brasileira”.

O advogado e professor Carlos Emmanuel Joppert Ragazzo, que foi integrante da carreira de EPPGG, não pensa diferente. Perguntado sobre Nelson Barbosa, afirmou ser “um grande admirador do seu trabalho e da sua liderança” e desejou sucesso ao ministro. Mesma atitude teve o EPPGG Fernando Antonio Ribeiro Soares - “Nelson Barbosa é extremamente bem-vindo ao Ministério do Planejamento. Seu conhecimento e obstinação na realização de projetos é fundamental para os desafios que o Brasil irá enfrentar nos próximos anos”, avalia.

O Presidente da ANESP, João Aurélio, balizado aos comentário dos colegas EPPGGs, se diz esperançoso .“Como se percebe, a nomeação de Nelson Barbosa trará de volta à Esplanada não somente uma liderança conhecida da Carreira, mas uma liderança respeitada pelos servidores que trabalharam com ele. Todos os colegas ouvidos revelaram expectativas muito boas sobre o futuro do Ministro. Um bom começo!”