EPPGG lança livro de poesias inspirado em Brasília na próxima quinta (08)

Sérgio Luis Avancine, da 4ª turma, publica seu terceiro livro em evento no Setor Comercial Sul

Na próxima quinta-feira (08), às 17 horas, o Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG) da 4ª turma Sérgio Luis Avancine lança, pela editora Annabel Lee, o livro de poemas Céu Cerrado Cidade. O evento será em um restaurante no Edifício Parque Cidade Corporate, no Setor Comercial Sul, em Brasília.

Avancine conversou com a reportagem da ANESP sobre o novo livro. Confira abaixo a entrevista.

ANESP - Como surgiu o livro? É o seu primeiro? Aproveite para contar um pouco da sua história de vida e também da sua história como EPPGG.

Sérgio Avancine - Sou da carreira de Gestor desde 1998, com extensa vida profissional anterior (tenho 60 anos de idade): pesquisador, professor, técnico ou dirigente em prefeituras e órgãos públicos paulistas. Sempre tive prazer em escrever textos acadêmicos ou técnicos, por exemplo Notas Técnicas, tão peculiares ao dia-a-dia do Gestor. Desde 2001, tomei gosto também por poesia. Publiquei ‘Poemas Soltos’ em 2007 (lançamento apenas em São Paulo) e um segundo livro em 2011, 'Lua e meia', lançado em SP e Brasília. Fui então entrevistado na TV Senado (programa Leituras), Rádio Nacional (Agenda Cultural) e Correio Braziliense, o que me animou. Acumulei poemas (de imprevisível surgimento!) a ponto de perceber ter um estoque de mais de 100 poemas genuinamente brasilienses,  inspirados em três fontes que a este migrante de São Paulo muito tocam: o nacionalmente famoso Céu, o característico Cerrado e a Cidade, sui generis no Brasil pelo valor urbanístico/arquitetônico. Assim surgiu 'céu / cerrado / cidade'.

 Sérgio Avancine. Foto: Arquivo Pessoal

Sérgio Avancine. Foto: Arquivo Pessoal

A - Como você descreve o texto do livro?

SA - Sempre gostei muito da Poesia Concreta, por exemplo, o paulista Haroldo de Campos. Mas fã mesmo sou do paranaense Paulo Leminski. Provavelmente guardo seus traços. E aprecio Nicolas Behr, trabalho único em Brasília. Meus temas e matéria-prima são o que vejo pela janela (moro no 10º andar, de frente ao Eixo Monumental) ou indo, diariamente, a pé ao trabalho: elementos ao alcance dos olhos e ouvidos deste forasteiro. Nos poemas busco brincar com os astros (Céu), namorar a natureza (Cerrado) ou destilar o Plano Piloto (Cidade). Sou um observador holístico, mas que investe no detalhe.

A - Quem você imagina que pode se interessar pelo livro?

SA - Primeiro, as pessoas que apreciam poesia. Mas aposto também num público novo. Afinal, como dizem profissionais da Literatura, meu trabalho contribui para alargar a ideia, comumente restrita, do que sejam poemas. Com aparente simplicidade, usando jogo de palavras,  humor, ironia, trocadilho, surpresa e sonoridade, meus versos provocariam imagens que enriquecem o espírito do leitor. O apresentador e crítico literário Maurício Mello (TV Senado) chamou-me de “experimentalista”. Por outra ótica, o livro se destina a gente que gosta de Brasília ou está disposta a se abrir à possibilidade: ‘céu / cerrado / cidade’ é minha prova de amor ao DF, sem perda do sempre necessário senso crítico. Por último, espero que turistas encontrem no livro seu souvenir de Brasília, já que, afinal, é produto de uma alma andarilha.

Serviço:

Lançamento do livro Céu Cerrado Cidade - Editora Annabel Lee
Data: 8 de maio
Horário: a partir das 17h
Local: Metropolis Gourmet Universe / Hosteria dei Sapore Bistrô; SCS Quadra 9, Torre C, Loja 1; Edifício Parque Cidade Corporate - Brasília/DF