Vaga aberta no Ministério da Justiça para cargo comissionado

Candidatos devem se inscrever por e-mail até esta sexta-feira 14, ser graduado ou estar cursando Direito ou Relações Internacionais a partir do 4º ano

 Imagem: Divulgação/MJ

Imagem: Divulgação/MJ

O Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) da Secretaria Nacional de Justiça (SNJ) do Ministério da Justiça recebe, por e-mail, até esta sexta-feira (14) inscrições de candidatos para o processo seletivo para o cargo de Chefe de Divisão de Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal - DAS 101.2.

Para ser considerado apto a participar da seleção, o interessado deve preencher os seguintes requisitos obrigatórios:

1. Formação completa ou graduando a partir do 4º ano do curso de Direito ou Relações Internacionais;
2. Fluência em inglês e espanhol, com boa leitura, redação, compreensão e fala;
3. Domínio de informática como usuário, especialmente o pacote Office;
4. Habilidades para gerenciar equipes;
5. Facilidade de comunicação com autoridades.
6. Caso o candidato selecionado seja servidor público com vínculo efetivo, deverá ter o "de acordo" de sua chefia imediata.

Ainda serão avaliados critérios como:

1. Experiência anterior em órgãos públicos como servidor ou estagiário;
2. Experiência prática e/ou conhecimento teórico sobre cooperação jurídica internacional;
3. Noções de processo penal e conhecimento sobre a estrutura do sistema judiciário, órgãos de persecução e investigação criminal.

A remuneração para o cargo é de R$ 2.741,50 ou valor opcional de R$ 1.644,90 (para quem já é servidor público e optar por cumular o valor do DAS com sua remuneração). Para participar da seleção é preciso enviar os documentos para o endereço eletrônico cooperacaopenal@mj.gov.br, até o dia 14 de fevereiro de 2014, com o campo assunto "Seleção DAS 101.2 - Chefe de Divisão de Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal".

O Processo Seletivo é constituído de três etapas. A primeira é o recebimento, por meio eletrônico, de currículos e de carta de apresentação com no máximo de 30 linhas. A segunda é a avaliação curricular. E a terceira consiste em entrevista com o candidato (presencial ou pela internet/telefone).

Caso seja aprovado para a entrevista, o candidato deverá apresentar os documentos comprobatórios de escolaridade, conhecimento de línguas estrangeiras e experiência profissional. Em observância ao princípio da conveniência e oportunidade, a aprovação do candidato no processo seletivo não lhe garante a ocupação do cargo.

Clique aqui para mais informações.