Primeiro resultado do Proim é insatisfatório

Com apenas cinco movimentações aprovadas, primeira etapa do Processo Integrado de Mobilidade apresenta número irrisório em comparação com o total de oportunidades ofertadas. Para ANESP sistema mostra-se ineficiente e gera alto custo para a Administração Pública. Associação pediu informações detalhadas

 Foto: Fernando Stankuns

Foto: Fernando Stankuns

Foi divulgado nesta quarta-feira (12), no Diário Oficial de União, o resultado da primeira etapa de entrevistas do Processo Integrado de Mobilidade – Proim. Dentre as 264 oportunidades abertas por 41 órgãos do Executivo, apenas cinco foram aprovadas.

Embora haja mais duas fases de entrevistas para os EPPGGs que se inscreveram, cujos resultados estão previstos para serem divulgados respectivamente em 25 de setembro e 09 de outubro, o número inicial pode indicar uma ineficiência do sistema criado pela Secretaria de Gestão Pública do Ministério do Planejamento – Segep/MPOG. De acordo com dados fornecidos pela Segep à ANESP, via Lei de Acesso à Informação – LAI, o número de pedidos de movimentação aprovados entre julho de 2011 e julho de 2012, antes do início do Proim, foi de 166 para 220 protocolados.

A ANESP avalia que o atual processo gera um custo alto e é ineficiente para a Administração Pública, uma vez que diversos Ministérios mobilizaram quadros internos tanto para a estruturação do Proim quanto para a avaliação de demandas e formulação de pedidos por EPPGGs.

Há problemas no atual modelo, como por exemplo em relação às aprovações automáticas de movimentação, a necessidade de anuência prévia da chefia e a falta de aproveitamento das competências adquiridas pelos gestores que se afastaram para estudos. Falta também transparência no que se refere às vagas disponibilizadas, atribuições das posições e os órgãos demandantes.

Com o objetivo de obter mais informações para a carreira, a ANESP enviou nesta segunda-feira (09) ofício à secretária Ana Lúcia Brito, via LAI, solicitando os dados referentes a:

- quantidade de EPPGGs inscritos no atual processo;
- relação das oportunidades informados pelos órgãos à Segep, por órgão;
- relação das oportunidades disponibilizadas pela Segep para os EPPGGs, por órgão;
- critérios utilizados pela Segep para fazer seleção das oportunidades disponibilizadas aos EPPGGs;
- disponibilização de todos os documentos utilizados pelo sistema de processamento do PROIM

A Associação aguarda a resposta da Segep para divulgação das informações e salienta a recomendação, conforme deliberado por Assembleia Geral, para que os gestores não participem do Proim.

Fonte
Assessoria de comunicação ANESP

Leia mais:
Mobilidade da carreira de EPPGG – por que não participar do Proim