Estudo de EPPGG conclui que número de concursados influencia na qualidade da burocracia

Pesquisadora Aleksandra Pereira dos Santos colheu dados de 1.156 servidores de carreira

 Aleksandra Santos - EPPGG

Aleksandra Santos - EPPGG

Um estudo realizado pela EPPGG Aleksandra Pereira dos Santos para tese de doutorado na Universidade de Brasília conclui que os servidores rendem mais em órgãos que possuem maior quantidade de concursados. A pesquisa aplicada com o método multinível foi feita com dados fornecidos pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e colhidos de 1.156 servidores.

Segundo a pesquisadora, a melhoria do serviço público passa pelo incentivo à meritocracia e ao concurso público na estruturação das carreiras. Além disso, que é preciso levar em conta a capacidade de mediar conflitos e de atuar levando em consideração valores éticos e democráticos.

Outros aspectos foram destacados pela pesquisa. O servidor com maior grau de escolaridade tem mais facilidade em transitar entre os órgãos da Administração. Outro fator que contribui para a eficiência da burocracia é o número de concursados. Quanto mais deles, melhor é o funcionamento do órgão. Pesa ainda na qualidade do trabalho funcional o investimento em treinamento e o estímulo à especialização dos servidores.

Em entrevista a Agência Unb, Aleksandra comenta outros resultados da pesquisa. “Ao contrário do que se propaga, o tempo médio na carreira, a idade do servidor e o cargo gerencial ocupado não se revelaram significativos para o desempenho relacionado à tarefa e ao contexto. Significa que servidores recém-ingressos no serviço público, ou os mais jovens, podem desempenhar competências com o mesmo grau de complexidade que servidores com idade e tempo de carreira superiores", diz a pesquisadora.

A pesquisa faz parte do projeto de doutorado intitulado Contexto, Carreiras e Competências: um Estudo Multinível na Administração Pública, feito no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações (PG - PSTO) da Universidade de Brasília, sob orientação do professor Jairo Eduardo Borges-Andrade.

Fonte: Assessoria de Comunicação ANESP com Agência Unb.