Criado grupo que ajudará Dilma a tornar gestão mais eficiente

Presidenta assinou decreto de instituição da Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade do Setor Público na manhã desta quarta-feira (11). Comandada por Jorge Gerdau, equipe orientará governo a tomar medidas que busquem “fazer mais com menos”

 Foto: Antonio Cruz/ABr

Foto: Antonio Cruz/ABr

A presidente Dilma Rousseff assinou na manhã deste quarta-feira (11) o Decreto que cria a Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade do Setor Público. Presidida pelo empresário Jorge Gerdau Johannpeter, do Grupo Gerdau, e vinculada diretamente ao Conselho de Governo da Presidência da República, a equipe tem como objetivos centrais a melhoria da eficiência da máquina pública federal e a redução dos gastos com custeio.

A Câmara atuará como um fórum orientador, indicando ao governo medidas que alcancem um dos principais motes levantados por Dilma ao assumir a Presidência: fazer mais com menos. O desafio será combinar diagnóstico, inovação, ação e resultados para melhorar a qualidade dos investimentos públicos.

Em seu discurso na solenidade de instalação da Câmara, a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, frisou que sua Pasta está sendo reestruturada para cumprir o papel de interlocutora e braço operacional das orientações da nova equipe.

A Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade do Setor Público não terá uma estrutura sólida, com servidores próprios, e seus integrantes não receberão remuneração extra.

Além de Gerdau, o grupo conta com mais sete pessoas. Pela sociedade civil, fazem parte o dono da rede de supermercados Pão de Açúcar, Abílio Diniz, o presidente da Suzano Papel e Celulose, Antônio Maciel Neto, e o ex-presidente da Petrobras, Henri Philippe Reichstul. Pelo governo estão os ministros Guido Mantega (Fazenda), Antônio Palocci (Casa Civil), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e Miriam Belchior (Planejamento).

Fonte
Assessoria de Comunicação ANESP, com informações do Ministério do Planejamento