Devido à baixa exigência mínima na prova objetiva, concurso para EPPGG elimina poucos

Mais de 5.800 candidatos se classificaram para a etapa discursiva. Quantidade foge ao padrão de outros certames

 Foto: Stock Photo

Foto: Stock Photo

Cerca de 90% dos candidatos que fizeram as provas objetivas do concurso para a carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental – EPPGG se qualificaram para a etapa discursiva. O resultado oficial foi divulgado pela Escola Superior de Administração Fazendária – Esaf no Diário Oficial da União desta segunda-feira (02).

Os avaliadores terão de corrigir as provas de 5.804 candidatos, o que representa 38,7 por vaga – número considerado alto para a discursiva. No concurso de 2009, por exemplo, foram aprovados para essa mesma etapa 403 candidatos para 100 vagas.

De acordo com o edital da seleção, para se qualificar os candidatos não poderiam zerar nenhuma das disciplinas e deveriam fazer pelo menos 30% da pontuação total ponderada. Em nota pública divulgada pela ANESP em 11 de junho, a entidade criticou a baixa exigência mínima para classificação: “trata-se de uma regra muito benevolente para a seleção de quadros que ocuparão cargos de alta responsabilidade”, escreveu a diretoria da Associação.

Outro problema em relação à prova discursiva é a alteração da data de realização, que passou a ser 20 de outubro, mesmo dia em que acontecerá a do Banco Central. Alguns candidatos, insatisfeitos com o edital do concurso para gestor, especialmente devido à excessiva pontuação conferida à fase de avaliação dos Títulos Acadêmicos e da Experiência Profissional (30,3% do total), reclamam da data e indicam a possibilidade de desistir do certame.

Fonte
Assessoria de comunicação ANESP